Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda Tem Etiqueta

Ainda Tem Etiqueta

Só porcarias para me enervar

por Francisca, em 26.03.15

Pedi para o senhorio dividir o valor da caução em dois. Estou à espera de uma resposta. Óbvio que não vai dividir. Entretanto, durante a hora de almoço fui assinar a proposta para mandar para o banco em relação à compra da casa. Ia tendo uma zanga com a senhora que está tratar do processo. Como fui de burro amarrado, ela achou que eu não estava assim tão interessada. Eu disse-lhe, que não tinha tempo para perder e se não quisesse comprar a casa não estava ali. Ficou aquele ambiente horrível. A moça da imobiliária conhece-me da escola mas fingiu que não. Adorooooooooooo. Tratou-me por você e eu a pensar que me ia falar normalmente, como antes. Enfim. Precisamos de 2500 euros para despesas antes da chave na mão. Piada do século. 

Vou mudar de casa e estou em pânico

por Francisca, em 26.03.15

Como tinha contado antes, andava a comprar casa mas devido a falta de verbas para avançar com a compra a casa acabou por ser vendida por alguém com dinheiro. Normal. Desistimos da compra e começámos a procurar outra casa para comprar. Entretanto, as coisas estão a andar, pois a casa é financiada pelo banco, então as coisas são um bocadinho mais rápidas (só que não!). Entre um período e outro andávamos a procurar casa para arrendar porque tínhamos de sair desta casa onde estamos actualmente. Problemas atrás de problemas. Casas na zona não existem t3. E como vivo com o meu sogro, a ideia era um t3. Pensámos muar de terrinha. O que ia dar cabo da minha vida, hábitos, rotina e dinheiro. Foi colocada outra opção em cima da mesa. Uma soluçção que nos deixa triste mas tem mesmo de ser. O sogro terá de ir para casa de ouro filho enquanto não compramos casa ou arranjamos outro t3. Hoje de manhã fomos ver um t2, chega bem para mim, marido e filho. Não é a melhor casa do mundo, mas foi a renda mais barata que encontrámos no lugar onde queremos. Está a ser uma correria, tenho uma casa inteira para colocar dentro de caixa e uma vontade enorme de chorar e desaparecer. Mais dinheiro em contratos de água e luz. Para além disso, a casa é antiga, não tem electrodomesticos nem guarda-roupa. Lá vou ter de ir ao ikea. Não pensem que a gastadora está feliz com isto tudo. Não estou. Pelo contrário. 

Quem é vivo sempre aparece

por Francisca, em 09.03.15

Voltei, venho actualizar o blog mais morto do que vivo, mais pobre do que poupado.

Não conseguimos comprar casa. Foi uma tremenda desilusão. O banco aprovou tudo. Festejámos. Entretanto, voltou com a palavra atrás e pediu 10% para a entrada. Óbvio que não tínhamos. Ficou tudo cancelado. E nós, devastados com a notícia. Não contávamos. Foram expectativas, sonhos, projectos... Estas coisas acabam por dar cabo do bem estar do casal. No nosso caso, acabou por trazer mau ambiente para casa. Ficámos a saber de tudo uma semana antes do aniversário da criança. E espírito para festas? Nenhum. 

 

Quanto à festa, correu super bem. Fomos buscar alegria não sei onde e acabou por correr tudo bem, os convidados adoraram. Contudo, acho que bem organizada eu teria feito a comida e poupado 300 euros. Mas não, fui casmurra, não queria ter trabalho. A comida sobrou, mas as coisas que a organizadora da festa fez não foram nada de especial. Coisas muito simples. O que chamou mais atenção foi o bolo principal, em forma de tambor. Mas já está. 

 

Recebi duas cartas das finanças. Farta deles até aos olhos. Tenho os selos do carro em atraso. 

 

Não sei se vou conseguir poupar alguma coisa de jeito este mês. Pelo menos cinquenta euros gostava de colocar de lado, mas está complicado. 

 

Andamos a procurar casa para alugar. Um T3, com alguma mobília (ex. fogão). Tem de ser um T3 porque o meu sogro vive convosco. Enfim, é a vida que temos. Não há mais nada para dificultar? Não estamos a conseguir encontrar casa, temos visto somente T2 com quartos para anões. 

 

Vendi o iPhone mas não consegui vender mais nada. Também não andava com cabeça para nada. 

 

Ontem sentia-me feliz, hoje nem tanto. Às vezes, tenho vontade de bater com a cabeça na parede e dar-me chapadas. Porquê que eu não poupei dinheiro na minha vida? Agora estou a pagar por tudo. 

 

Março vai ser enorme. Já gastei 120 euros em comida. Paguei o berçário. Vou pagar a água (em atraso) e tenho consulta de oftalmologia este mês (eu e o miúdo). 

 

 

 

Entre vendas e divagações

por Francisca, em 12.02.15

Lá consegui vender o iPhone. Cento e dez euros pago em duas vezes. Coloquei a máquina fotográfica no site Troca-se mas ainda não consegui um negócio jeitoso. Tenho um fato de carnaval para comprar ao miúdo. Quero algo quente e fofinho. Já pensei em fazer o fato mas estou sem ideias. No infantário pediram aos pais para fazermos um instrumento musical com material reciclado. Está feito! Fui a uma loja de artigos em segunda mão aqui da minha zona. Aceitam várias coisas. Estou a pensar ir lá colocar um portátil. Tenho de tirar fotos e tratar disso. Entretanto, no banco, depois de aprovado o empréstimo para comprar casa eles voltaram atrás e agora querem dez por cento do valor em dinheiro para entrada. Se eu tivesse dinheiro não tinha pedido empréstimo. Vamos tentar noutro banco. Mas sinceramente estou desiludida e sem esperanças. Neste momento tenho cento e cinquenta eros para poupar se não gastar até ao fim do mês.

Tarefas, dicas e futilidades

por Francisca, em 02.02.15

Pode até ser estranho o que vou dizer mas não sinto diminuição na minha vontade em poupar dinheiro. Estou cheia de vontade e de ideias. Vou começar a destralhar a valer. OLX espera por mim. Uma câmara fotográfica, uma câmara de filmar, botas, livros, portátil, iPhone 4s desbloqueado. Será que consigo vender pelo menos metade? Sempre seria dinheiro extra no orçamento. A esperança é a última a morrer.

 

Para esta semana já tenho as refeições programadas e os looks definidos. Poupo imenso tempo assim. Tenho uma aplicação muito porreira para os looks. Tiro foto às roupas e coloco no calendário. A aplicação faz as estatísticas das vezes que uso a peça X ou Y! E fica tudo registado. Acho engraçado, fico com a noção de tudo o que uso. Também posso adicionar looks de celebridades como inspiração para looks no futuro. A aplicação chama-se Stylebook. Esta aplicação é paga, existe grátis outra versão, a aplicação Stylicious. São pequenas futilidades que me dão ânimo e de alguma forma ajudam esta batalha.

Adeus Janeiro, fui um desastre

por Francisca, em 01.02.15

Olá, voltei. 

Venho fazer o resumo deste mês desastroso. Acabei por gastar as poupanças todas. Fui aos saldos e só fiz porcaria. Abusei, digamos. Quatro pares de sapatos. Não tenho emenda. Também comprei um telemóvel novo. E ainda não vendi o antigo. Alguém quer um iPhone 4S por cem euros? Enfim, não vale a pena justificar-me, pois não?

 

Já não tenho os vouchers. Não tenho poupança. E tenho de começar tudo do zero. Mas não posso fazer este mês porque tive despesas extra: carta das finanças, carta da segurança social e aniversário do filho. 

 

Então e quanto sobra para Fevereiro? Vão rir-se. Pouco mais de cem euros. Verdade. Depois de todas as despesas pagas (extra e não extra) fiquei com cem euros. E só estamos no dia um. A única coisa que fiz de jeito foi não comprar livros. Palmas. De resto, esquece. Sou um desastre completo. 

 

Como viver com cem euros? Marmita em casa, não posso fazer compras, não posso ir ao cabeleireiro, nem arranjar as unhas. Digamos que este mês será só para fazer uma festa de anos do caraças e pouco mais. O marido também terá de me dar algum dinheiro para dividirmos as coisas, mas será pouca coisa. Só espero não ficar a bater mal com o peso da consciencia ou ficar triste com esta situação toda. Não vou desistir, e ainda acredito que vou conseguir juntar três mil euros. Sim, eu sou maluca. Adoro sonhar.

 

Entretanto hoje fui ao supermercado e já deixei cem euros do orçamento para a alimentação. Por isso é que detesto ir ao continente, trago sempre do que preciso. Bolachas, barritas, enfim. 

Entretanto, fui conhecer a minha casa nova mas ainda não assinei a escritura. Estas coisas demoram. Já ando a ver sites de decoração. A única coisa que eu quero é uma cozinha com uma ilha. Acho lindo. 

Pronto. Podem dar-me na cabeça. Eu mereço. 

 

Os almoços e jantares fora de casa

por Francisca, em 20.01.15

Almocei fora. Quando juntar todos os talões dos almoços/jantares deste mês vou ter uma surpresa. Tem sido pelo menos um vez por semana. Eu moro muito perto do escritório onde trabalho. Vou a pé para o emprego quando não sou eu a levar o miúdo para o berçário. Normalmente, deixo o almoço pronto no dia anterior. Não há justificações para comer fora. Mas, às vezes, não resisto a comer porcarias fora de casa. Preciso de me treinar. Quando levava a marmita não cedia, mas acabava por não partilhar a refeição com o marido. Se calhar, vou optar por equilibrar as coisas. Sendo assim, amanhã levo a marmita e passo a hora de almoço a ler na biblioteca ou no escritório. 

 

Hoje para aliviar um bocado o stress vi imensos sites de compras. Estive quase a ceder. Também fui passear para o centro comercial à hora de almoço e ainda experimentei um parka verde com carapuço com pelo. Eram 19.90€. Baratinho. Mas resolvi continuar esta luta.

 

Ah, cereja em cima do bolo, só para o dia acabar em bem, esta semana devo assinar a escritura da casa nova. Esperam-se tempos complicados nesta casa. Depois explico melhor. 

O mês que nunca mais acaba

por Francisca, em 17.01.15

Hoje era para ir passear até Belém, comer uns pastéis de nata, ver as modas. Não fui, não fomos. O homem zangou-se com uma parvoíce, não estive para levar com os azeites e decidi ficar em casa. Foi o melhor que fiz. Não gastei um tostão. 

 

Ambos, devido à compra da casa que não ata nem desata (estas coisas demoram imenso), temos o dinheiro todo contado até ao final do mês. Cada um tem cerca de quarenta euros. Não queremos mexer nas poupanças. Ainda faltam alguns dias. Gasolina, fruta, legumes e fraldas. Mantemos os cartões tickets com dinheiro e acho que também vai ser à justa. Se fosse à um mês atrás esses cartões estavam vazios há séculos. E não tínhamos oitenta euros. Muito menos poupanças. Acho incrível abrir o site do meu banco e ver na conta cerca de oitocentos euros. Seiscentos são para o escritura e despesas bancárias. Um roubo. Uma pessoa compra casa e ainda tem de pagar extras de tudo e um prego. 

 

Não quero de todo deixar de viver, nem aproveitar passeios mas entre escolher ir comer pastéis de nata fui visitar a minha irmã e um amigo. Também é importante dar abraços. 

Sempre que passa mais uma semana

por Francisca, em 05.01.15

Serve a segunda-feira para contar como correu mais uma semana. Avanço, muito positiva. 

 

Na noite de passagem de ano recebi dois amigos. Fiz compras no supermercado mas dividimos a despesa. Foram cem euros para cinco pessoas, vinte a cada um. Camarão, amejoa, paté de atum, dois pratos principais, sangria de champanhe de morango, creme de alho francês, pão, vinho, champanhe, sumo, café, bolo de chocolate com creme de leite condensado. Sobrou imensa comida, para a próxima já sei. Com isso, fiquei com imensa comida e café em casa. Hoje voltei a ir às compras, a ideia é gastar sessenta euros por semana. Hoje precisei de gastar setenta, por causa das fraldas e leite do miúdo. Mas mesmo assim, costumo estender-me mais porque ia às compras sem um plano. Agora até levo os sacos ecológicos. São uns cêntimos, mas não interessa. E para as refeições, faço mais pratos de tabuleiro. Rende mais. 

 

Durante o fim de semana só fui visitar a minha irmã e o meu sobrinho. Não saí de casa para mais lado nenhum. Estava muito frio. Preferi ficar a brincar com o miúdo, a ler um livro, a ver filmes. Não senti qualquer tipo de ansiedade. Um dia falarei com pormenor sobre isso.

 

Amanhã é o meu aniversário. A melhor amiga Raquel vai levar-me a passear até ao Guincho, reservou um restaurante com vista para o mar. Pedi-lhe para escolher um restaurante razoável por causa do preço, pois gostava de pagar o almoço, mas ela disse que estou por conta dela. Com amigas assim, não preciso de mais nada. Antes vamos a uma exposição em Cascais, a exposição do Bryan Adams. O preços dos bilhetes não são caros, mas depois conto tudo. À tarde, vamos passear para o Chiado. E aí, vou estar à prova mais uma vez. Contudo, estou muito decidida em continuar sem fazer compras. 

 

Espero sinceramente que o dia de amanhã não me estrague as contas. Vai ser o primeiro ano sem roupa nova no dia do aniversário. Não quero desculpar-me com "também mereço", "é só um presente para mim". Regresso a casa no final do dia sem compras, querem apostar? 

 

Ah, consegui vender quatro livros. Estou a vender alguns livros a cinco euros cada. Sempre são mais uns trocos para o mealheiro. Um dia coloco aqui alguns dos livros, pode ser que haja alguém interessado, não é verdade?

 

Quando os presentes são vouchers

por Francisca, em 26.12.14

Parece que o pai natal ficou a saber do meu objectivo para 2015. Ando a espalhar a boa nova pela família e amigos, mas nunca pensei que o velhinho de barbas brancas estivesse atento. Não estava à espera de receber prendas, quanto mais vouchers para eu fazer compras nos maiores centros comerciais de Lisboa. Obrigada. Oitenta euros para eu esticar nos próximos tempos. É claro que o meu coração começou a bater forte quando vi os envelopes. Os meus olhos brilharam. Entretanto, em visita à madrinha recebi mais um envelope com vinte euros. Cem euros extra no meu orçamento. Não mereço tanto, mas sinto-me eternamente agradecida. 

 

Os saldos estão a chegar. Estou a preparar-me psicologicamente para enfrentar a maior época festiva para as mulheres. Para já, tudo controlado. Para já! Nem tenho ido ao site da Zara, mas sei que os saldos começaram porque recebi e-mail. Enquanto estou sentada a escrever este texto, a minha conta está a salvo. Acho.  

 

No dia vinte e quatro tive de comprar a prenda da minha irmã Marina e do meu sobrinho. Gastei cerca de doze euros. Poupadinha. Um soutien na Calzedonia a quatro euros e um par de sapatos com um padrão giro cerca de oito euros e um babete a um euro. Aproveitei umas promoções. Já dei imensa roupa do meu filho para o meu sobrinho. Roupa praticamente nova. O dinheiro que pedem por uma peça de roupa de criança é um roubo, não concordam? Tenho comprado em lojas de roupa em segunda mão, tenho recebido roupa de amigos e não compro em quantidade excessiva. Não vale a pena, ele está a crescer. Por falar nisso, a roupa do meu filho dá outro texto: como me oriento com poucos, mas confortáveis (e giros) conjuntos. 

 

Hoje terei o meu primeiro grande teste. Vou ao centro comercial. Eu e os meus queridos vouchers. Não vão ficar em casa. Quero ver como aguento a pressão. Quero ver assistir da primeira fila! Uma espécie de rascunho para o desafio final em 2015. Faltam quatro dias para o desafio começar oficialmente. 

 

Agradeço o apoio efusivo dos visitantes do blogue. É tudo uma grande novidade para mim. E qualquer gesto de apoio é mais do que bem-vindo, é um saco cheio de abraços e palmadinhas nas costas. 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Tags

mais tags

Links

  •  
  • Livros

    Bimby

    Supermercado

    Blogs Inspiradores