Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda Tem Etiqueta

Ainda Tem Etiqueta

Adeus Janeiro, fui um desastre

por Francisca, em 01.02.15

Olá, voltei. 

Venho fazer o resumo deste mês desastroso. Acabei por gastar as poupanças todas. Fui aos saldos e só fiz porcaria. Abusei, digamos. Quatro pares de sapatos. Não tenho emenda. Também comprei um telemóvel novo. E ainda não vendi o antigo. Alguém quer um iPhone 4S por cem euros? Enfim, não vale a pena justificar-me, pois não?

 

Já não tenho os vouchers. Não tenho poupança. E tenho de começar tudo do zero. Mas não posso fazer este mês porque tive despesas extra: carta das finanças, carta da segurança social e aniversário do filho. 

 

Então e quanto sobra para Fevereiro? Vão rir-se. Pouco mais de cem euros. Verdade. Depois de todas as despesas pagas (extra e não extra) fiquei com cem euros. E só estamos no dia um. A única coisa que fiz de jeito foi não comprar livros. Palmas. De resto, esquece. Sou um desastre completo. 

 

Como viver com cem euros? Marmita em casa, não posso fazer compras, não posso ir ao cabeleireiro, nem arranjar as unhas. Digamos que este mês será só para fazer uma festa de anos do caraças e pouco mais. O marido também terá de me dar algum dinheiro para dividirmos as coisas, mas será pouca coisa. Só espero não ficar a bater mal com o peso da consciencia ou ficar triste com esta situação toda. Não vou desistir, e ainda acredito que vou conseguir juntar três mil euros. Sim, eu sou maluca. Adoro sonhar.

 

Entretanto hoje fui ao supermercado e já deixei cem euros do orçamento para a alimentação. Por isso é que detesto ir ao continente, trago sempre do que preciso. Bolachas, barritas, enfim. 

Entretanto, fui conhecer a minha casa nova mas ainda não assinei a escritura. Estas coisas demoram. Já ando a ver sites de decoração. A única coisa que eu quero é uma cozinha com uma ilha. Acho lindo. 

Pronto. Podem dar-me na cabeça. Eu mereço. 

 

Reacções da família e amigos

por Francisca, em 23.12.14

 

 

Quando conto aos meus amigos o que vou fazer em 2015 ninguém me dá muita credibilidade. Aumenta a pressão e a vontade de conseguir surpreendê-los.

 

Já pedi ajuda à melhor amiga, ela garantiu-me que vai ajudar-me. Troco roupa por comida, disse-me. Pedi-lhe para não me deixar de lado nos passeios à conta da minha mudança radical. Ela riu-se, como é que vou conseguir ir a um centro comercial sem gastar dinheiro? O meu amigo Costa acha que é uma mudança extremamente radical. Nem uma ponta de fé tem em mim. Deixa-me triste. Ele acha que o facto de eu ser mãe também não abona em meu favor. Eu acho que abona e muito. Vou passar mais tempo com o meu filho. Dedicar-me a ele, fazer actividades giras, criar, inventar. Vai ser giro. O Ângelo diz que fica com o meu cartão de crédito caso eu tenha uma vontade súbita de gastar dinheiro. O Gouveia disse logo que eu não conseguia, mas que era um bom objectivo. A minha irmã Alexandra riu-se. Acho que as únicas pessoas que acreditam neste projecto sou eu e a minha sombra. Obrigadinha.

 

Eu sei que não vai ser fácil. Pelo contrário. Vou sofrer crises de ansiedade devido à vontade louca de comprar uma peça de roupa nova. Soa a histerismo escrever isto assim, mas acho que muitas mulheres vão entender-me. Vão, não vão?

 

Hoje recebi o ordenado de Janeiro. Começa a minha mega aventura! Janeiro tem trinta e um dias. Não são dias a mais? Dois aniversários. O meu e da minha sobrinha mais velha. Pensar numa prenda modesta. Tenho um vale de desconto para gastar numa loja de roupa de criança. Entretanto, desisti de festejar o meu aniversário. Vou só almoçar com a melhor amiga e fazer um jantar mais especial em casa. Chega muito bem. São trinta anos. Com certeza que arranjo um vestido ainda com etiqueta no fundo do armário. Ou talvez peça uma prenda Zara. Prendas vale. Um dia de cada vez. Respirar fundo.

 

Vocês estão comigo, não estão? Digam que sim. 

Mais sobre mim

foto do autor

Tags

mais tags

Links

  •  
  • Livros

    Bimby

    Supermercado

    Blogs Inspiradores