Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda Tem Etiqueta

Ainda Tem Etiqueta

Vou mudar de casa e estou em pânico

por Francisca, em 26.03.15

Como tinha contado antes, andava a comprar casa mas devido a falta de verbas para avançar com a compra a casa acabou por ser vendida por alguém com dinheiro. Normal. Desistimos da compra e começámos a procurar outra casa para comprar. Entretanto, as coisas estão a andar, pois a casa é financiada pelo banco, então as coisas são um bocadinho mais rápidas (só que não!). Entre um período e outro andávamos a procurar casa para arrendar porque tínhamos de sair desta casa onde estamos actualmente. Problemas atrás de problemas. Casas na zona não existem t3. E como vivo com o meu sogro, a ideia era um t3. Pensámos muar de terrinha. O que ia dar cabo da minha vida, hábitos, rotina e dinheiro. Foi colocada outra opção em cima da mesa. Uma soluçção que nos deixa triste mas tem mesmo de ser. O sogro terá de ir para casa de ouro filho enquanto não compramos casa ou arranjamos outro t3. Hoje de manhã fomos ver um t2, chega bem para mim, marido e filho. Não é a melhor casa do mundo, mas foi a renda mais barata que encontrámos no lugar onde queremos. Está a ser uma correria, tenho uma casa inteira para colocar dentro de caixa e uma vontade enorme de chorar e desaparecer. Mais dinheiro em contratos de água e luz. Para além disso, a casa é antiga, não tem electrodomesticos nem guarda-roupa. Lá vou ter de ir ao ikea. Não pensem que a gastadora está feliz com isto tudo. Não estou. Pelo contrário. 

Quatro semanas. Complicado.

por Francisca, em 19.01.15

Não gastei o dinheiro. Os cem euros ainda não estão na carteira, não consegui ir ao banco fazer o depósito. Interessa é que não os gastei. 

 

A semana passada quase que me fez gastar dinheiro. Quase. Tive dias menos felizes, cheios de tédio. Quando isso acontece tenho vontade de fazer compras. Almocei fora um dia. Tenho juntado todas as facturas com contribuinte. Foi um gasto desnecessário. 

 

Não vendi mais livros, fiz uma troca de um livro por outro. Gosto, vou poder ler um autor que andava para ler há muito tempo. Só gastei o envio dos livros. 

 

Como fui ao workshop de costura tive de gastar dinheiro em portagens e transportes. E claro, lá aproveitei para jantar fora outra vez. Não resisto a comida. Outra refeição, desta vez necessária, estava cheia de fome. 

 

Continuo com os vouchers e tenho quarenta euros até ao final do mês para gastar. Isto, se não mexer na poupança até lá. Está a ser complicado estes últimos dias. Entretanto, estou a finalizar os últimos pormenores para a festa de anos do meu filho. E já combinei um jantar na próximo fim de semana com os amigos. A conta vai ser dividida. Com precisei de café, legumes e fruta, o valor no ticket é menor. 

 

As roupas que comprei ainda têm etiqueta. Enfim, quatro peças por estrear. 

 

Estou realmente a torcer para o ordenado ser depositado na próxima segunda-feira. Só falta mais um fim de semana! 

 

Conta: cerca de quarenta euros

Poupança: duzentos mais vouchers de oitenta euros

Ticket: quarenta euros

Terceira semana. Até parece mentira

por Francisca, em 12.01.15
  Digamos que comi uma vez no restaurante. Estava frio, não me apetecia cozinhar, mandei vir comida com entrega ao domicílio. A preguiça é um pecado. Aquele hambúrguer soube-me pela vida. Como paguei a conta total, foram quinze euros do orçamento. 

 

Tal como contei ontem, vendi um tablet. Com algum do dinheiro extra comprei três peças de roupa na Mango. Se não tivesse vendido não teria comprado. Juro. Juro. Fui a uma exposição, gastei seis euros com os bilhetes. Paguei a inscrição do workshop de costura. É já amanhã. Falta pagar o resto. Comprei uma prenda para a sobrinha e um livro para a mana. Ambos os presentes no Lidl. Vou ficar com cerca de cento e vinte euros. Nada mal, não é verdade? Fora o dinheiro que guardei para a poupança, duzentos euros. Ah, e oitenta euros em vouchers. 

 

Esforços. Recusei uma jantarada num restaurante caríssimo com um grupo grande de amigos. O frio também não ajuda, mas o motivo principal foi a contenção de custos. Não comprei uma caixa de make up que eu queria há muito tempo da Benefit. Não comprei roupa para estrear no aniversário. No dia do meu aniversário, não fiz compras. 

 

As finanças enviaram-me uma carta a pedir o pagamento o imposto de circulação de um carro que não uso. Nunca mais me lembrei de pagar o imposto. Optámos por usar apenas um carro. O outro carro precisa de alguns reparos. Já pensei vender o carro, mas com a quantidade de avarias que o carro dá, mais vale ficar quieta. Vou ter, desta forma, despesa extra no próximo mês. Nada agradável. Quantos mais depressa pagar, menos juros, não é verdade? 

 

A sensação de estarmos a meio do mês e ainda ter dinheiro é mais do que fantástica. Para além de ser um milagre. Sério. A coisa era grave. 

Sempre que passa mais uma semana

por Francisca, em 05.01.15

Serve a segunda-feira para contar como correu mais uma semana. Avanço, muito positiva. 

 

Na noite de passagem de ano recebi dois amigos. Fiz compras no supermercado mas dividimos a despesa. Foram cem euros para cinco pessoas, vinte a cada um. Camarão, amejoa, paté de atum, dois pratos principais, sangria de champanhe de morango, creme de alho francês, pão, vinho, champanhe, sumo, café, bolo de chocolate com creme de leite condensado. Sobrou imensa comida, para a próxima já sei. Com isso, fiquei com imensa comida e café em casa. Hoje voltei a ir às compras, a ideia é gastar sessenta euros por semana. Hoje precisei de gastar setenta, por causa das fraldas e leite do miúdo. Mas mesmo assim, costumo estender-me mais porque ia às compras sem um plano. Agora até levo os sacos ecológicos. São uns cêntimos, mas não interessa. E para as refeições, faço mais pratos de tabuleiro. Rende mais. 

 

Durante o fim de semana só fui visitar a minha irmã e o meu sobrinho. Não saí de casa para mais lado nenhum. Estava muito frio. Preferi ficar a brincar com o miúdo, a ler um livro, a ver filmes. Não senti qualquer tipo de ansiedade. Um dia falarei com pormenor sobre isso.

 

Amanhã é o meu aniversário. A melhor amiga Raquel vai levar-me a passear até ao Guincho, reservou um restaurante com vista para o mar. Pedi-lhe para escolher um restaurante razoável por causa do preço, pois gostava de pagar o almoço, mas ela disse que estou por conta dela. Com amigas assim, não preciso de mais nada. Antes vamos a uma exposição em Cascais, a exposição do Bryan Adams. O preços dos bilhetes não são caros, mas depois conto tudo. À tarde, vamos passear para o Chiado. E aí, vou estar à prova mais uma vez. Contudo, estou muito decidida em continuar sem fazer compras. 

 

Espero sinceramente que o dia de amanhã não me estrague as contas. Vai ser o primeiro ano sem roupa nova no dia do aniversário. Não quero desculpar-me com "também mereço", "é só um presente para mim". Regresso a casa no final do dia sem compras, querem apostar? 

 

Ah, consegui vender quatro livros. Estou a vender alguns livros a cinco euros cada. Sempre são mais uns trocos para o mealheiro. Um dia coloco aqui alguns dos livros, pode ser que haja alguém interessado, não é verdade?

 

Uma semana após receber o ordenado

por Francisca, em 29.12.14

Não contente, fui meter-me noutro centro comercial para uma ida ao cinema. No mesmo dia em que os saldos davam ar de sua graça. De vouchers novamente na mala. Assim que cheguei fui direitinha ao cinema comprar os bilhetes. No dia anterior, tinha aberto um mealheiro depenado com catorze euros, não mexi no meu orçamento para os bilhetes. Com uma hora para passear antes do filme, espreitei várias lojas.

 

Não costumo entrar na Tezenis, mas um íman puxou-me para dentro da loja e fez-me agarrar em três camisolas de algodão, duas calças de bom material, tudo com 50% desconto! Peças que precisava obrigatoriamente no meu armário, sobretudo por causa do preço! Histérica, meti-me na fila para pagar. Tinha duas pessoas à minha frente. Bem-ditas pessoas, consegui pensar duas vezes antes de chegar à caixa de pagamento. “Não preciso, foge!”. Arrumei tudo no lugar e saí da loja. As camisolas eram giras giras giras. Juro. A minha conta seria de cinquenta euros. Não foi. Os cinquenta euros ficaram na minha conta.

 

Depois do cinema, fui espreitar a feira com livros junto ao metro do Oriente. Conhecem? Começo a ver as capas, só autores que ainda não tinha lido, preços desde sete euros, bem mais caros no site da Fnac. Agarrei em sete livros. Depois seleccionei quatro. No final, não levei nenhum. Milagre, cantem aleluia. Eu nem me reconheço. A minha irmã Alexandra ainda olhou para mim para ver se estava com febre, mas parecia orgulhosa.

 

Todavia, comprei um candeeiro novo para a mesa-de-cabeceira. O antigo partiu-se. Também comprei um carregador de pilhas. Fartei-me de comprar pilhas todos os meses para a câmara fotográfica. Era uma fortuna em pilhas. Extras necessários. Nada de futilidades ou coisas repetidas.

 

Do ordenado meti duzentos euros de parte. Fiquei com cerca de duzentos para gastar após pagar as despesas. Cmm isto, tenho cerca de cento e cinquenta para as próximas três semanas. Não esquecer, tenho o meu aniversário à porta. E o aniversário da sobrinha. 

 

Esta semana não volto a entrar  em nenhum centro comercial. Os festejos da passagem de ano vão ser em casa. Uma festa simples, no quentinho. 

 

Pensar positivo. Janeiro é longo, mas na verdade uma semana já passou. Para mim. 

Mais sobre mim

foto do autor

Tags

mais tags

Links

  •  
  • Livros

    Bimby

    Supermercado

    Blogs Inspiradores